Um artigo de impacto ou a sociedade, eis a questão?

No meio científico brasileiro atualmente a palavra artigo virou sinónimo de excelência. Até que ponto isso é válido? Ao ler uma reportagem sobre o trabalho de um professor de química Robin Dutta da Tezpur University (Índia) que desenvolveu um filtro para tratar água contaminada por arsênio. A tecnologia de filtragem desenvolvida pelo professor Dutta é chamada de Arsiron Nilogon e está disponível gratuitamente como um método de faça você mesmo para remover o arsênio e fluor de águas subterrâneas contaminadas.

Ele levou 20 anos para melhorar a condição de vida da comunidade. O trabalho do professor é um excelente exemplo de trabalho de extensão da academia a serviço da sociedade. Ao contrário que a maioria dos cientistas que usa os fundos nacionais para trabalhar com questões estrangeiras para publicarem em revistas estrangeiras com a finalidade de implementar os seus resultados à produção científica da Índia no contexto internacional, o professor Dutta, ainda como um jovem cientista, foi motivado a trabalhar para o povo da terra dele.

Para o professor Robin Dutta demonstrando o seu projeto de 20 anos nas escolas no distrito de Golaghat.

A relevância do trabalho do professor está nos efeitos nefastos da contaminação por arsênio. Esse elemento causa câncer, depressão, doenças cardiovasculares entre outras. No caso da índia a contaminação de arsênio nas águas subterrâneas é responsável por contaminar cerca de 2,5 milhões de pessoas em mais de 20 distritos. Hoje, a felicidade do professor após 20 anos é as escolas no distrito de Golaghat, em Assam, pediram aos alunos que construíssem o Arsiron Nilogon como um projeto de ciências.

Fico pensando quantas melhoramentos das condições das comunidades pobres brasileiras os nossos cientistas fizeram. Certamente, se ocorrem não foram bem relatadas na literatura científica.

Leia também

A contaminação do arsênio 1

A contaminação por arsênio 2

O musgo que limpa água com arsênio 

A contaminação ambiental e a saúde das crianças

Arsênio

Ainda 1/3 do mundo não tem acesso a água potável

fonte: New18.com

About Genilson Pereira Santana

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.