Três cientistas e a descoberta do oxigênio

A descoberta do oxigênio, um passo fundamental para que a química atingisse a maioridade no século 18 que envolve três cientistas. São apontados como responsáveis pela descoberta o sueco Carl Wilhelm Scheele (1742-1786), o inglês Joseph Priestley (1733-1804) e o francês Antoine Lavoisier (1743-1894). Para qual deles seria mais justo atribuir a descoberta do feito. As informações mostram que Scheele foi o primeiro a identificar em laboratório, por volta de 1772, o elemento que ele chamou de “gás da vida”. Em 1774, Priestley faria o mesmo de forma independente na Inglaterra, com uma diferença: ele tornou pública a obtenção de seu “ar desflogisticado”; ou seja, o gás não tinha o flogístico. Por muito tempo se acreditou que a teoria do flogistico fornecia a explicação para a o fenômeno da combustão. Ela dizia que os materiais combustíveis possuíam um princípio comum inflamável presente apenas neles, que ficou conhecido como flogístico. Se algum material não queimasse, é porque não teria flogístico em sua composição. Coube a Lavoisier, em 1777, interpretar de forma adequada o papel daquele novo elemento, que ele batizou de oxigênio.

About Genilson Pereira Santana

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.