Reciclagem do cobre: um metal reciclado há mais de 10 mil anos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

O cobre é um metal extremamente utilizado pelo homem, perdendo apenas para o ferro e o alumínio. Por causa da facilidade e efetividade na recuperação, além de ser manipulado pelo homem desde o início da cobreevolução humana, o cobre é um dos materiais mais reciclados da humanidade. Estima-se que o processo de reutilização do cobre nos últimos 10 mil anos seja de cerca de 80%. Outro fator que impulsiona a reciclagem do cobre é o seu alto valor de mercado. Um dos fatores que fazem com que o cobre tenha um alto valor é a baixa quantidade existente na natureza. Outro fator que torna a reciclagem do cobre muito importante são as propriedades que ele apresenta e que são muito úteis para a sociedade. Atualmente, 85% do cobre utilizado é reciclado, tendo como principais fontes os resíduos de construção civil, aparelhos elétricos, cabos elétricos, motores, computadores, instalações de encanamentos, gás, calefação ou cabos elétricos, válvula, eletrodomésticos, etc. Ressalta-se que não existe diferença de qualidade do material reciclado para o metal extraído diretamente do minério. Uma das vantagens que ajudam na reciclagem do cobre está no fato de que este metal é muito utilizado na sua forma pura. Muito embora, ele também tem grande utilidade na forma de ligas metálicas, como por exemplo, o latão (Cu/Zn) e o bronze (Cu/Sn). Consequentemente, os setores de eletro-eletrônica, construção civil e da mecânica são os mais geram resíduos e sucatas de cobre e suas ligas.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

About Genilson Pereira Santana

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *