A poluição e magnetita =doença de Alzheimer

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A magnetita é a pedra-imã mais magnética de todos os minerais da Terra, e a esta propriedade foi utilizada para a fabricação de bússolas. O nome, magnetita vem da região onde a mesma era antigamente
encontrada, que era a Magnésia (região da Grécia), e magnésia quer dizer “lugar das pedras mágicas”. Todavia, o aumento de poluentes no ar, vem causando também um acúmulo descontrolado de magnetita no cerébro humano.  Segundo alguns estudos, altas concentrações de magnetita no cerébro ao invés de orientar pode estar causando a doença de Alzheimer, que é uma doença degenerativa responsável por destruir as funções mentais importantes, levando a pessoa à demência, um termo usado para indicar que o indivíduo perdeu suas capacidades de raciocínio, julgamento e memória, tornado-o dependente de apoio nas suas atividades diárias.

Durante décadas, os cientistas já tinham conhecimento de que o cérebro abriga partículas magnéticas,. Cerca de 25 anos atrás, geofísico Joe Kirschvink do California Institute of Technology (Pasadena) detectou biologicamente a formação de partículas de magnetita em cérebros humanos, dando provas de sua origem natural. O problema é que a magnetita causa  o estresse oxidativo, interrompendo a função celular normal e contribuindo para a criação de destrutivos radicais livres instáveis moléculas que podem danificar outras moléculas importantes. Trabalhos anteriores também demonstraram uma correlação entre a quantidades elevadas de magnetita cerebral e doença de Alzheimer. Estudos recentes indicam que o excesso de magnetita aumenta a toxicidade de placas amilóides ? marca da doença de Alzheimer, bem como de aglomerados de proteínas que podem interferir com a sinalização celular. Nada liga definitivamente magnetita à doença de Alzheimer, mas os tipos de danos celulares que podem causar são consistentes com o que é visto na doença.

Leia também

Magnetita um óxido de ferro usado no tratamento do câncer

A magnetita um óxido de ferro que orienta

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

About Genilson Pereira Santana

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *