O preço da inovação

No início inovador representava um grande avanço para a humanidade. A extensão da novidade não representava qualquer perigo nem ao homem ou mesmo ao ambiente. Nos últimos anos, estamos vivendo outros tempos. O DDT motivo de grande euforia contra a malária, já há algum tempo vem sendo questionado. O combustível fóssil grande vencedor do carro elétrico, hoje a humanidade retorna à eletricidade para reduzir o aquecimento global. Os antibióticos, a salvação do homem na luta contra as bactérias, hoje luta para não ser vencido pela superbactéria. Ao que parece as bactérias só deram um tempo para os antibióticos. A nossa volta estão os plásticos uma esperança na redução do desmatamento e no consumo de energia para produção de aço, hoje contaminam praticamente todo o planeta água. Agora, estamos vivendo o mundo da nanotecnologia. As consequências no futuro ainda não sabemos; todavia, a certeza é que teremos momentos de euforia por mais um avanço da humanidade.

About Genilson Pereira Santana

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.