O modo de pintar de Pablo Picasso

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
La Misery em cuclillas de Pablo Picasso (1902)

Entre os pintores mais influentes do século XX, Pablo Picasso também foi um dos mais estudados. Todavia, os segredos de sua forma de produzir ainda não foi totalmente desvendada. Essa afirmação encontra respaldo em uma pintura de 1902, que acaba de ser analisada por uma equipe internacional. Essa equipe internacional utilizou  técnicas não-invasivas, como a fluorescência e difração de raios X. Preservada no Museu das Belas Artes de Ontário, no Canadá, La Misery em cuclillas revela pouco a pouco seus mistérios. Esta pintura de 1902 é uma das primeiras obras do período azul de Picasso. Apesar de sua aparente simplicidade, sua execução é complexa, misturando diferentes camadas, cores e texturas. Já em 1992, os especialistas notaram, graças a um simples exame visual, que a superfície de certas partes da pintura não parecia de acordo com o assunto representado. Do mesmo modo, as cores atípicas pareciam emergir das rachaduras. Em uma tentativa de entender o mistério de The Crouching Misery , uma equipe internacional apresentou o gráfico para análises mais avançadas e não invasivas, incluindo imagens de fluorescência de raios X e imagens hiperespásicas de reflexão infravermelha. Ao isolar os vários elementos presentes nos pigmentos, tais como chumbo, cromo, ferro ou cádmio, essas técnicas permitem revelar as várias pinceladas que levam ao trabalho final. Esta análise mostra que Picasso não teve dúvidas sobre a modificação de um trabalho durante sua execução. Assim, ele primeiro pintou a mulher com um braço e uma mão direita segurando um disco antes de cobri-los com um casaco. As imagens também destacam uma pintura subjacente, previamente identificada com raios X. É uma paisagem – talvez o parque do labirinto de Orta, em Barcelona – pintado por um artista desconhecido.  Provavelmente por causa da economia, Picasso reutilizou essa tela para realizar seu trabalho, já que a parte de trás da Miséria volta quase rigorosamente aos contornos da paisagem.

Fonte: Ciência actualités.fr

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

About Genilson Pereira Santana

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *