O caso dos sabões e detergentes

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Os detergentes são substâncias constituídas por longas cadeias carbônicas (apolares) com um grupo funcional polar em uma de suas extremidades. O elemento básico do detergente é um agente de superfície ou agente tensoativo, que reduz a tensão superficial dos líquidos, sobretudo da água, e facilita a formação e a estabilização de soluções coloidais, de emulsões e de espuma no líquido. Para penetrar na superfície e interfaces dos corpos (adsorção), a molécula do agente tensoativo contém uma parte polar ou hidrofílica, solúvel em água, e uma parte lipofílica, solúvel em gordura. Detergentes também são empregados na formulação de produtos de higiene, como xampus. Os xampus são soluções de alquilsulfonatos e alquilsulfatos, como o laurilsulfato de sódio; os xampus infantis empregam tensoativos anfóteros, porque estes não irritam a mucosa ocular (“não arde o olho”, como dizia uma propaganda desse tipo de produto). Os condicionadores empregam tensoativos catiônicos, que interagem com os grupamentos aniônicos presentes na proteína do cabelo (queratina), levando, assim, a um efeito antiestático, facilitando o penteado. Materiais para preparação de xampus e condicionadores também podem ser encontrados facilmente em lojas especializadas.

Os sabões são sais de ácidos carboxílicos em que um hidrogênio foi substituído por um cátion. É essa estrutura das micelas, que possibilita a remoção das gorduras. As moléculas de gordura ficam aprisionadas na região central das micelas. Os sabões são fabricados com álcalis e gorduras. Tradicionalmente, a soda cáustica e as gorduras eram misturadas em grandes cubas

aquecidas por diferentes meios até o ponto de ebulição. O processo moderno é o da hidrólise direta das gorduras a temperaturas elevadas. Uma grande desvantagem do sabão é sua tendência a reagir ao cálcio e magnésio da água dura, com a formação de um resíduo insolúvel, motivo pelo qual tende a ser substituído pelos detergentes sintéticos.

Os sabões são sais de ácidos carboxílicos de cadeia longa (os chamados ácidos

graxos). O caráter misto desses sais permite que eles tenham dois tipos de solubilidade em água.  A cadeia hidrocarbônica longa dos sais de ácidos carboxílicos é apolar e é capaz de interagir com espécies apolares, como m_sabaogorduras e outras que denominamos comumente sujeira. O grupamento ácido carboxílico ionizado (carboxilato), por ser polar,  é capaz de interagir com moléculas de água.  Por causa dessa característica, as moléculas de sabão interagem tanto com água como com gorduras, o que proporciona a limpeza da sujeira.

 

Tabela 1 – Diferenças entre sabão e Detergente. 
Parâmetro Sabão Detergente
Matéria prima Óleo e gordura Petróleo
Comportamento no ambiente Biodegradável Biodegradável ou não
Solubilidade em água Pouco solúvel Muito solúvel
Capacidade de limpeza Fraca Alta
Água dura Não pode ser usado Pode ser usado
Acidez Não pode ser usado em meio ácido Pode ser usado em meio ácido

sabao1

Referência

Líria Alves De Souza

Sabão e detergente

Fabricação de sabão caseiro

A quimica e os sentidos

Multifunctional Desserts

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

About Genilson Pereira Santana

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

2 thoughts on “O caso dos sabões e detergentes

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *