A chuva na Amazônia depende do isopreno

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×
isopreno
Isopreno
2metiltreitol
2-metiltreitol

Uma coisa é certa na Amazônia a chuva é bastante abundante. Fato que pode ser atribuído a extensa vegetação existente na região Amazônica. Esse grande tapete verde não significa ser a maior diversidade mundial, mas uma fábrica de isopreno. Esse terpeno é o responsável pelo a formação de gotas de chuvas, pois a formação das gotículas de água na atmosfera depende de sua oxidação em 2-metiltreitol. Após um conjunto de reações fotoquímicas, o isopreno perde um átomo de hidrogênio e ganha quatro de oxigênio, convertendo–se  2-metiltreitol.  Cidades como Manaus e Bélem, duas metropoles afetam diretamente o processo de produção de isopreno, não só com processo de explosão demográfica mas também pela quantidade de poluição produzida.  Dessa forma, o processo de ocupação desordenado com consequente desflorestamento mudará com certeza a quantidade de chuva na região e dada a proporção em outras regiões do planeta serão afetadas.

Leia também:

Chuva ácida e amazônia

Fonte:

Urbanização já afeta chuvas e funcionamento do clima amazônico

Descoberto o “elo perdido” das chuvas na Amazônia

Os senhores da chuva

 

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

2 thoughts on “A chuva na Amazônia depende do isopreno

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *