Aplicando o contexto no ensino de Química

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

A química pode parecer abstrata e distante das experiências do dia-a-dia, das paixões e interesses pessoais de nossos alunos. A química é feita por pessoas, cada uma com sua história individual, por muitas razões diferentes; alguns são profundamente pessoais, outros focados na solução de problemas em escala local ou até global; alguns para interesses comerciais. Para garantir uma oferta saudável de estudantes de Química no futuro, precisamos ajudá-los a se conectarem com a Química, contar a eles histórias envolvendo a química que estão aprendendo. 

Geralmente, os conteúdos são usados ??em questões do exame para aumentar a dificuldade, mudando o foco de uma questão para a aplicação do conhecimento. Os alunos, muitas vezes, não reconhecem nas perguntas o conceito que está sendo aplicado. Isso o leva a pensar que a prova está pedindo algo que não foi ensinado. Mesmo com essa dificuldade, faz sentido incorporar contextos ao ensino de Química, pois eles podem fornecer uma maneira de ampliar os horizontes dos alunos, bem como potencializar o seu desempenho em avaliações futuras ou mesmo na sua vida profissional.

Alguns contextos com aplicações já são dirigidos pelo conteúdo a ser ensinado e são relativamente fáceis de serem encontrados nos materiais didáticos ou mesmo na internet. Idealmente, esses conteúdos deveriam ser inseridos no material didático usado em sala de aula. Aqueles conteúdos fora do material didático deveriam ser exigidos fora do horário de aula.  Nesse sentido as semanas de cursos, feiras de conhecimentos, entre outros eventos são importantes para que o aluno busque a Química no seus cotidiano, ou mesmo para prova que determinado conteúdo será importante para seu futuro profissional.

O ensino de Química deve servir de expiração para o aluno aumentar o seu conhecimento da ciência. Um ferramenta que ajuda muito o ensino de Química é convidar indústrias locais que empregam a química e vim a escola. A vinda da empresa é uma ótima oportunidade para mostrar carreiras químicas variadas e ajudar os alunos a fazerem conexões genuínas com a ciência. Agora se não existirem indústria química deve ser convidados profissionais das mais variadas que usam a Química na sua vida profissional, por exemplo, médicos, farmacêuticos, professores etc.

No caso específico de professores é interessante que sua própria experiência seja mostrada na sala de aula, principalmente para aqueles professores que fizeram pós-graduação, como especialização, MBA, mestrado e doutorado, suas experiências são importantes para o futuro do aluno.  Outra estratégia útil é solicitar dos alunos a fazerem uma leitura do conteúdos relacionados à Química, inserindo textos relacionados a prêmios Nobel, questões ambientais como aquecimento global, contaminação de rios e ar etc. Acima de tudo, o ensino de Química deve ser orientado pelo contexto e baseado em dois modelos:  i) o uso do conteúdo  como um dispositivo para introduzir um conceito e, ii) o ensino de conceitos sendo aplicados nos conteúdos. Qualquer que seja o modelo escolhido ao planejar suas atividades de aula, pense no sequenciamento dos conceitos a serem aprendidos ou aplicados em sala de aula.

 

Fonte: Education in Chemistry

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

About Genilson Pereira Santana

Professor de Química Analítica da Universidade Federal do Amazonas, autor de livros em Química, Editor da Revista Eletrônica Scientia Amazonia e da Revista Divirta-se com o Clube da Química.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *